Archive for agosto, 2010

As coisas mudam

Houveram tempos, em que,
Estar sozinho era opção,
E você optava por isso!
Talvez gostasse da solidão,
Se ocupava com coisas úteis,
Planejava o futuro
E deixava o tempo correr.

Hoje, quando está só,
Sente-se mal,
Quando acompanhado,
Se sente só,
Você não tem nem escolhas,
E a cada minuto que passa,
Aumenta sua aflição,
Tu se vê sofrendo,
Chorando,
Até tentando mudar tudo isso,
Mas é irreal,
Não vai dar certo.
Um coração vazio como o seu,
É raro encontrar.
Por que será que, todos que tu enxerga,
Tem uma vida tão perfeita?
Amigos, amor, ideais,  outras coisas mais,
Você tem uma tendência,
Ou, é predestinado a viver,
Ao lado da infelicidade.
Sua cabeça não aguenta mais,
Nem a simples pressão cotidiana,
O que fazer?
Se até seu ”anjo-guia” você perdeu?
Sua vida está sem cores,
Com sonhos despedaçados,
Você foi roubado,
E no lugar da esperança,
O ladrão deixou desilusão.
Rumo á um fracasso
Quase inevitável,
Sua imaturidade
Te faz incapaz de conseguir,
Viver da maneira certa,
Talvez esteja na hora de mudar,
De crescer,
Antes que tudo se entregue ao fim.

A vida,
Se torna mais confusa,
As pessoas,
Mais complexas, dificeís de entender,
Sentimentos!?
Não os consigo prever.

Meu dia-a-dia,
Me exausta,
E o que me resta,
É o orgulho de ser, quem eu sou,
De estar, onde estou,
A fins,
De um dia encontrar
O caminho, a qual, sempre estive a procurar.

Os olhos se movimentam
Em meio multidões,
Só querem achar uma coisa,
Alguém,
Que comprometeu-me,
Alma e coração,
VOCÊ!
Será que é isso que queria ler?
Só entenda uma coisa,
Se eu te amo…
A culpa é sua!
Que fez-se presente,
Em momentos derradeiros,
Tornando-me feliz.

Talvez, eu só pareça,
Um garoto que lhe quer,
Um garoto imaturo qualquer,
A verdade, é que lhe amo,
E isso não vai mudar,
Independentemente do que aches,
Ou pense.

Quem sabe,
Seja eu  quem realmente
Lhe fará bem,
Não traíra,
Não fará-te chorar,
Nem decepções á viver,
O Fato, é que,
Quanto mais confuso fica,
Mais intenso também.

Tarde Demais Pra Mudar

Mil coisas passam pela minha cabeça nesse momento
O que pensam que eu sou ?
Quem eu sou?
O que sou eu?
Você criou um monstro,
No qual eu me tornei.
Não tenho culpa dos meus atos
O único culpado aqui… é você
Querem me destruir,
Mas eu nâo permitirei.
Aquela criança feliz que você conhecia,
Foi embora….

Ficou presa nas lembranças do seu passado,
Não lamente quando eu for,
Pois nunca mais voltarei
É tarde de mais
Já perdi o controle de mim mesma,
Acabou !
Não me encontrará nunca mais,
Ninguém saberá onde estou…
NINGUÉM…

(Autoria de: Isabella Valverde Giatti)

Lá Fora

Do que adianta

Os passáros que cantam, lá fora,

O sol que nasce, como uma nova história,

Se tudo que tenho, é o silêncio da solidão,

E a escuridão que invade meu quarto.

São os versos escritos errados,

Os detalhes mal olhados.

De que  vale,

O barulho dos carros passando,

As pessoas lá fora falando,

Os corações que querem viver,

Se,  me sinto em uma prisão,

Meu coração já petrificou,

Meus olhos se apagaram,

Não me sinto mais liberto.

Vivo trancado em minha casa,

Inventei meu próprio mundo,

Subtamente estou morrendo,

Uma vida repetida, vivo todos os dias.

Preciso saber, como vivem,

Os que estão lá fora,

Talvez, Eu precise viver com os que estão lá fora,

Ser de lá!

Será Só Eu?

Por que minha vida se resume em solidão?

Cansado de buscar o amor, de buscar a pessoa certa, vou caindo num abismo sem fim, meu destino deve ser este, vagar e vagar, rumo á infelicidade. Não consigo confiar em mais ninguém, um dia, à pouco mesmo, me disseram:  -Eu Te Amo! –  porém, já não acredito que alguém possa amar-me, pois, ninguém ama o vazio, sem brilho e desinteressante, o fato, é que me  sinto iludido, como se as pessoas, depositassem em mim, sentimentos superficiais, que não existem, mas o medo que tenho, é que, todos estes sentimentos sejam reais, e, minha mente e coração, incompletos, me cegam, me matam.

Deus existe? Então ele me odeia, ou simplesmente, me tirou de seu caminho, minha vida reproduz sofrimento, cada batida de meu coração, cada segundo do tempo, é tomado por desafetos, decepções, e quanto mais eu vivo, mais intenso fica, torna-se parte de mim.

Será que quem quero, está disposta a juntar-se a mim? Talvez não! Minha vida, cheia de perguntas ( sem respostas ), as memórias que tentei eternizar em minha mente, não valem á pena, as imagens que estampam meus segredos, são pessoas, que sem ao menos terem ciência, deixaram marcas, que por piores ( ou melhores ), que sejam, vou levar até o fim, fim de uma vida vaga, que esteve sempre, á procurar, buscar, esperar, o que nunca iria chegar.

Alguém apto á salvar-me?

? Era pra ter um título….!

O homem, para não se sentir desiludido, se alimenta de sonhos!

Os meus?!

Se apagaram!

Talvez  existam falsas pretenções,

Porém, a razão do que eu sinto,

Não consigo enxergar,

Talvez eu até almeje,

Quem eu deseje,

Nunca irá chegar.

Simplesmente,

A vida irá passar,

E só assim, descobrirei,

O que eu queria!

Por enquanto,

Minha vida inútil,

Me diz que vivo,

Vivo só por que me deram a vida.

Eu á jogo em momentos derradeiros,

Passo a maior parte do tempo sozinho,

Momentos bons se vão,

E eu?!

Eu fico sentado,

Esperando a próxima mentira,

Que me faça feliz,

Que me minta feliz.