Archive for março, 2014

Na esquina da sua casa, na minha mente.

Por favor, por amor,
me dê um pouco de atenção,
enquanto toco tua mão
deixe eu falar de mansinho no ‘pé do teu ouvido’
tudo o que tenho pensado e vivido distante de ti,
sem língua Universal,
por agora, quero falar só a tua língua,
penetrar só em teu coração.

Não gosto de esperas e promessas,
criam expectativas, deixam morrer o tempo junto com um pedaço de nós,
tentam tratar incertezas do futuro,
esperas e promessas são um muro
entre  falar e  fazer,
entre  imaginar e ser.
Aos invés de esperas e promessas, quero mostrar acontecer.

Já tentei definir
mas não sei o que há em ti que me encanta,
que desperta o melhor de mim,
é tão natural, era uma semente,
virou planta, a flora aflora,
cada dia cresce mais o jardim.

Falo sincero,
tenho mero respeito, assim sou habituado,
não é pela carne, nem pela vaidade,
é pelo que é puro, o desejo de estar alado, que insisto,
pois uma coisa é tesão e erotismo, outra amor, paixão…
é somente por meu sentimentos que persisto.

não tento só entender, nem só atentar-me,
menos ainda domar ou dividir,
quero somar, viver, pra sentir,
estar em você, lhe vendo independente de mim,
acrescentar e expandir,
quero, todos os dias, lhe fazer sorrir.

Grava a tua voz em mim?
Ou, diga um não e deixe morrer, ter fim,
junto com o tempo, indo embora com o vento,
torturando, lento, até sumir.

Há quem me diga que é loucura
“me envolver”, “escolher você”,
pra mim, loucura é ficar em silêncio
guardando o que está na alma,
coração e pensamentos.
Loucura é deixar em segredo
por temor, por fraqueza, medo,
loucura..

Quantas coisas ainda diria,
até queria dizer.
Quem sabe um dia,
com mais romantismo, talvez maestria,
os desejos virtuosos venham a florescer,
por enquanto só poemas, como cartas, escrevo
para você ler…

Sem título.

Sabe aquela dorzinha que dilacera o coração?
Aquela que faz o cérebro ficar ruminando,
aquela que quem provoca é a paixão…
Sabe? Então…

A linha que liga nós dois não vibrou,
o silêncio ficou,
tua posição defensiva me atacou.
Velejei por muitos mares, respirei muitos ares,
muita coisa mudou.
Perdi o controle do meu navio, veja só
onde ele atracou.

Estrela cintilante,
meu rock’n’roll acabou,
o blues chegou, até um tango tocou,
e você, sob que som dançou?

Um sentimento de transformação me tomou,
ressentimento comigo mesmo, arrependimento do que passou…
sempre fui a causa da minha dor.
Uma carência, um pé atrás, incertezas,
o que é o verdadeiro amor?

Desabrochei como uma flor.

Melancolia, nostalgia,
a realidade do que temos a nossa volta não satisfaz,
sonhar alivia,
realizar liberta,
evoluir vicia.

Quase sempre fui atordoado, errado, fui da noite,
quero caminhar de dia.
sempre fechei as portas que Deus abria,
pulei no abismo, tive medo do monte,
quase sequei minha fonte.
Inocente, incoerente, sofria.

Porque insisto em escrever? porque????
Como alcançar se é tão distante o mundo em que habita você?

Sempre a brilhar, se estruturar,
ignorando o que podia te afetar, derrubar.

Tu lia, eu me drogava,
tu se revestia, eu me entregava,
tu crescia, eu me arruinava,
tu vivia, eu representava,
tu alçava voo ao céu, minha cova eu cavava,
tu fazia, eu esperava,
tu pura, eu fumava.
Começou a colheita de tudo o que eu plantava.

Não mereço o que eu desejo,
o espelho da alma me mostra um homem pequeno,
vou recomeçar a corrida, estou me livrando dos venenos.

Mudar, recomeçar,
um sopro de vida pra reanimar,
fé é confiança no que não se pode tocar…
e eu não vou parar de remar.

Vá, continue, prossiga,
só quero que saiba,
tu foi o tiro na minha cabeça, a espada no meu coração,
que me fez suplicar por perdão,
que me fez desejar
mudar meus passos nessa imensidão.

[…]

Enquanto eu penso e não durmo

Você dorme, ignora,
toma conta
e vai embora,
a mente chora,
mente um coração de pedra, mas é mole,
em silêncio implora…
esconde os sentimentos
e não ‘bota pra fora’,
tome cuidado com a explosão, sem tomar conta a bomba estoura.
Os livros que lê não são a sua história,
teu alimento é ilusão,
vamos reconstruir suas memórias!
Por que se esconde toda hora?
Porque não olha a volta
quando caminha no bairro que mora?

Trauma?
Liberte a sua alma!
Vem cantar! Vem dançar!
Vem viver!
Não brilhe sozinha, estrela
vamos pintar o mundo teu
tocar o céu, saborear o mel,
fazer uma fogueira, onde o que aquece é uma vela.
Vem voar,
quero te dar um abraço
mostrar o que é amar – Diferente dos exemplos falhos que conheceu.
Vem ver o sol nascer
dizer que amanheceu,
mudar esse destino reprimido teu..

Vem ser você!
Sem medos
sem insegurança,
voltar um pouco a ser criança,
ter mais leveza e uma vida mansa,
joga esse escudo e essa lança..
é mais gostoso deitar na rede,
acariciar teu cabelo enquanto a gente balança.

[…]

Acordar

Hoje eu quase acordei feliz. Sonhei.
Nos meus sonhos ganhei abraços,
ouvi com atenção,
falei dos meus novos passos…
mas ao voltar do sonho, havia muita dor no coração
o sonho era como ilusão,
e a vida não, a vida não.

Buscar conforto e segurança no irreal
é vão,
pensar em quem se foi com o tempo
é falta de aceitação…
é como gostar de se dar uma facada
e depois ficar sozinho, deitado, sangrando no chão.

E ainda ‘tá’ escorrendo o sangue,
desfalecendo o corpo e apagando a visão,
mesmo assim eu ainda quero o sonho
nem que seja por cinco minutos, nem que seja só pra olhar nos olhos
sentir me tocarem com as mãos..

Assim Quero, Assim Faço

Pintar com palavras
melodias em versos,
bailar com a alma
desfilando a caneta sobre as brancas folhas do caderno,
assim eu liberto
e faço o distante chegar perto.

Criar, destruir,
apanhar e em seguida sorrir.
Inovar, repensar, aceitar,
estar alado, sem fugir…
Matar o que corrói,
dar a luz para seguir,
mergulhar no mais profundo
recolher os cacos do que deixou cair.
Bater asas, voar,
beijar até perder o ar,
mediar o que fluir – Aqui não!!
Abraçar, agarrar,
tem que deixar partir![?]

Focar é  saber dizer não,
aprender a renunciar,
pois tempo e força são necessários – pra quem sobe a montanha, é preciso escalar.
sobe, pra tentar tocar as estrelas [Só importa uma estrela!],
amar a quem te odeia,
brilhar pra quem te dá as costas, pra quem acha que você é uma aposta…

Mostra!
O verdade não é feita só do que a maioria gosta,
a ilusão adoça…
mas não se compara a um oceano,
a ilusão é como poça.

Vai!
Para de ‘ai ai ai’,
quem se limita não confia
não alcança aquele ‘mais’…

Chover paz
naquele quadrado de terra, cheio de mato,
sobre o pomar, a horta e os bichos,
onde a beleza é um capricho
a maravilha é um canto,
e a segurança, quente manto..

[…]

Em você

A felicidade não está nos momentos,
nem nas pessoas que vão e vem como o vento,
não está nos planos e nem nas realizações,
a felicidade não está palpável,
e não pode ser escrita como lista de opções..

A felicidade está em você!

Sua mente cria, e tu refém se ludibria.

O mesmo vale para as tuas tristezas,
não está nos outros seres, pessoas,
nem acontecimentos…
Está em você!

Para ter domínio
não pode deixar o coração prevalecer,
sejais mediador, usar a mente – a mesma que cria, e destrói.

A felicidade sincera está na sabedoria,
e a tristeza na falta dela.
A falta de reflexão sagaz faz depressões,
logo cria, pra ‘adquirir’ algo, no lugar de sabedoria..
essas crias são apostas – Nem sempre ‘ganha’, nem sempre ‘perde’.

Dou-me um riso psique,
Felicidade é elevar a alma, olhando para dentro de si.

As almas..

Pobres almas,
não sonham
e nem vivem com felicidade,
se afundam no mais obscuro
em busca de suas próprias verdades – inventam suas verdades.

Pobres almas,
não conseguem ao menos bailar mansamente,
olhares de presas, inocentes,
perdidas,
a vaidade as move e excita
e suas bocas proferem palavras fortes – e nem notam –
é só quieto escutar, o contraste explica.

Deixai-vos enriquecer de verdade
a mente e o coração,
curva a vossa atenção para teu interior.

Bom e mau,
bem e mal,
fantástico e banal,
contínuo e sazonal,
são todas criações da tua mente,
definições prontas que lhe deram
para mastigado em ti plantarem o que soa normal.

Inventam lei, normas,
e falam de ética e moral,
questionar é tornado crime,
pecado,
questionar, fazem parecer errado. – Quando errado é calar e acatar, seguir sem escolher o que viver, e a quem amar.

Oh, almas!

É hora de repensar,
hora de reagir,
quebrar e remodelar,
comece por dentro de si
só assim algo poderá notar.

O vazio que lhe toma é a vontade incontrolável de crescer,
de verdadeiramente ser…
A voz que fala dentro de sua cabeça quando deitas
é a voz do saber, e com essa mesma voz questionas, perde o sono…
É hora de crescer!

Escrevo

Escrevo para tocar-lhe
escrevo para libertar o que em mim está preso,
escrevo para esquecer, para eternizar
para refletir e compartilhar,
escrevo para dar as mãos a um afogado
e também para me desafogar,
escrevo para expandir, e
talvez eu escreva pra alguém me notar …

MULHER!

To ‘engasgado’ pra escrever, mas quis postar.

———————————————————-

Mulher, palavra indefinível, tamanha a sua proporção.
Toda mulher , mesmo sem saber, é forte!
O mundo machista e patriarca reprime,
cala e incompreende,
só quem é sensível e sábio entende,
e ao menos atenta,
se coloca no lugar pra sentir o que uma mulher sente.

Perdão!
Por toda lágrima que caiu,
pelas noites de sono perdidas,
a falta de atenção e compreensão,
a repressão que tenta impor padrões,
gerada pelos que denominam-se homens.
Perdão,
por atitudes e palavras ofensivas,
por atrasos de vida,
dor e feridas,
.. perdão, pelo mundo que lhe foi proporcionado.

Não consigo olhar para uma mulher sem admiração,
os sorrisos, olhares, gestos,
tem beleza desde os detalhes.

Mulheres são como anjos,
e carregam dentro de si furacões,
sentimentos tão intensos, sempre a beira de uma explosão.

Mulheres tem o poder de carregar um corpo [projeto de vida], a magia,
e só elas sabem acalmar, e se tornam a zona de conforto de outrem.

Desejo liberdade de fato,
uma vida de voos alçados
com sonhos, muito amor e realização..
com paz preenchendo mente e coração
equilíbrio diante de qualquer situação..

Sinta o beijo à testa, o abraço forte,

Mulher..

Perdidos

Somos jovens, ou éramos jovens?
As pessoas estão se perdendo, ou se achando?

Eu, que nunca fui o melhor humano meio a sociedade
sempre questionei – Quase nunca tive respostas.

Deixamos de dar valor, atenção para as pessoas a nossa volta
em busca de nossos próprios sonhos,
para realizarmos algo ‘de peso’ em nossas vidas
[Uma massa de idiotas, onde linhas de comportamento seguem e padrões se formam, onde as pessoas fazem as coisas, achando que sabem – Mas todos desperdiçam tempo, na tentativa de ter uma felicidade, que no final é e sempre foi secundária].

Tudo muda, tudo mudará
tudo é constante partida,
e fisicamente sempre se finda
tudo que tem vida.

Mataram as crianças que éramos, a pureza a inocência
deram lugar ao ego,
chegou a hora de evoluir,
mas todos parecem cegos.

O que os guia?
Uma vontade incontrolável de se preencher?
hahahaha
Você busca um/a companheiro/a
em busca do pedaço que falta em você?

Pessoas carentes
pessoas que querem a paz,
mas pinga sangue de seus dentes
escorre o ‘bem’ entre tuas mãos..

O infinito está no céu
não no chão,
não num papel
nem num litrão..

Mas foda-se,
vejo, passageiros em constante fuga..

« Previous entries