Archive for outubro, 2014

Cúpido Bandido

Prendam o cúpido!
Ele atirou em mim,
dilacerou meu peito
e me deixou sangrando,
ainda está doendo,
mas venho e recuperando.
O cúpido maldito  cometeu uma tentativa de homicídio.
Me atordoou e fez cair de joelhos
diante daquela estrela cintilante e intocável
durante as noites em que o luar perdeu o juízo.
Fez-me desejar o descaminho do meu rumo,
querer tragar o ar da boca do desconhecido.
Fez-me perder o plumo da razão,
o desequilíbrio deu muito peso ao coração.
Tornou todo momento descontente,
os poemas expressão em vão.

Alem de assassino, o cúpido é ladrão!
Levou minha paz,
amassou meu pão como tentou fazer satanás,
mesmo assim comi.

Caminho em frente,
quem sabe essa sensação horrível presente
comece a ficar para trás.

Mas não esquecerei o inviável cúpido,
as marcas, manchas e cicatrizes sempre levarei comigo…

Meu cachorro é como a namorada que não tenho

Meu cachorro é como a namorada que não tenho.
Quando chego ele late, me lambeija e vem sentir meu cheiro,
Quando amanhece ele me acorda
deitado sobre meu peito
e me dá bom dia.

Meu cachorro me entende,
se estou infeliz me convida para um passeio,
me distraí e atenta aos meus segredos confessos – Guarda como ninguém estes mesmos segredos.

Quando brigamos
pede desculpas
com aquele olhar que diz muito além de qualquer palavra.
Se tardo a chegar
me espera na sala de estar,
apoia as patas em mim
e vai deitar.
Se não deito a cada uma hora vem me espiar.

Ao lhe tocar, ele vira de barriga pra cima
deixa afagá-lo, fecha os olhos
enquanto passo a barba mal feita sobre sua face,
seu queixo
e, deliciosamente, ele quase dorme.

Nas noites tristonhas em que me sinto só
meu cão fiel faz companhia
e prova o contrário.
Se em desalinho ando
avoado, ele bebe água e se molha,
depois enxuga a boca e as patas em meus lençóis,
joga meu travesseiro ao chão.
Dá sinais de querer minha atenção.

Nas fases confusas e sem sentido
é meu cachorro que mostra
que por ter a presença dele já vale a pena ter nascido.
Ele me dá ouvidos, latidos,
pede ajuda para o que não consegue fazer.
Ele tem graça até nos teus defeitos,
o dou e recebo carinho…
O amo e ele me ama.

Meu cachorro é um anjo,
é mais que um melhor amigo…

Bloco de Notas

Me calei diante dos relógios e ampulhetas,
vi que era o tempo errado – Existe tempo certo? A vida me parece curta para acreditar nisso.
Perdi a largada, foquei o alvo errôneo,
fiz o que não deveria ter feito.
Esqueci das qualidades, exaltei os defeitos,
tive pouca vaidade e rejeitei pessoas
em troca do meu leito.

O tempo, ah…
me fez insignificante diante do teu infinito,
me ignorou prosseguindo
e prometeu que um dia fechará minhas cortinas.
Todo show tem hora pra acabar.

Esfaqueado e aturdido
tracei um caminho bipartido,
ressentido comigo,
preferi caminhar como lobo solitário.
Ás vezes é mais seguro andar e cicatrizar sozinho.

Bases sólidas,
natureza imperfeita,
raízes autênticas regadas a pureza,
fidelidade como de um cego para com a escuridão.
Segurança nas renuncias
e silêncio diante dos males e sofrimentos.
Nada rápido, nada lento,
quanto houver de ser será
e haverá possibilidades de realizar.

Poucas palavras
porém convictas.
Determinação para lavrar
até que plante e nasça, chegue a colheita
dos grãos de café mais saborosos e bonitos.

Paciência e serenidade são como uma corda
para caminhar acima do abismo,
não deixe arrebentar e mantenha o equilíbrio.

Ambição sem ganância.
Não se contentar, sempre há mais
para subir, escalar,
até que possa voar.

Ser o arqueiro para atirar
e não a presa que é atingida
pela ideia que surpreende, faz sangrar.

Diários não devem ser relidos por outrem,
cartas não devem ser reveladas ao destinatário fora dos sentidos…

O sol do meio dia queima a pele,
mas esquenta os gelados.

Não deixe escorrer a água que poderia ter bebido,
não deixe passar as noites de verão
sem que aprecie a lua, a beleza das estrelas na imensidão.

O temor faz com que se vá a vida
sem ao menos ter vivido.

Insônia

Na matina
a sós com a insônia
cada minuto é eterno,
cada ruído é um grito,
todo pensamento é espesso
e em desatino mostra o que há submerso
nos degraus que formam a continuidade dos versos.

Cada minuto a ideia fixa
cresce,
a sensação estranha
acresce
e o ego desce e chuta a vaidade
para um campo de indagações covardes – sem sentido.

O café esfria,
a louça se junta sob a pia
e a televisão faz companhia.

A ideia fixa não se deixa ser esquecida,
a sensação estranha não acena
e faz-se acolhida a socar o peito.
O ponteiro gira tanto que me deixa tonto,
a chuva causa frescor e certa paz
mas ao deitar é desconforto em qualquer leito desse mundo.

O gato mia
pedindo leite e afagos,
se ele me entendesse um pouco
seria eu o afagado.

O sol começa a se colocar no horizonte,
os pássaros começam a cantar aos montes
a alegria que não há no amanhecer do dia sem fechar os olhos.

Um banho para relaxar,
um final de semana pra lembrar de quem não vai voltar
nunca mais
além dos pensamentos.

Ainda tenho uma vida toda pela frente, se assim quiser o destino,
pra me acostumar com a ideia, aceitar os fatos.

Mas hoje as circunstâncias
me atraem para o proibido,
a droga loira não legalizada para mim,
encarnada na seriedade disciplinada,
não está afim de nada
na estrada que me leva aos altos montes
e desperta a fonte do que tem esplendor.
Talvez seja isso, o proibido
sempre me atraiu.
Sempre nadei contra a lógica para ter o que eu queria.
Sempre me afoguei só pra sentir algum sinal de vida.

Viciei sem nem provar,
busquei no mais obscuro e profundo das memórias
um sorriso e um aceno
lançados ao meu eu,
um momento eternizado
qual nunca terá fim.

As luzes piscam
ou minha cabeça cansada entrou em pane?
Os travesseiros e almofadas me parecem adagas
cravando em minha nuca
a permuta da dor com a poesia.

Mais versos sem sentido e sem maestria,
talvez seja hora de ceder aos calmantes
e perder a magnitude
da minha mortalidade humana
em descontrole, sem sintonia.

Marcos 8:36

“Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?”

E eles continuam,
dia após dia correm atrás do triunfo externo,
querem frutos saborosos e usar belos ternos,
querem ter, ter e ter
e esquecem a essência do próprio ser.

Mas vale buscar conhecimento
e preencher com sabedoria todo o vazio
do que nadar num rio de dinheiro com o gosto amargo do fel
e da solidão.

Agrega o que tem valor de fato,
muda a mente
mas mude junto os teus atos.
Não seja esse humano barato
consumido pelo errado,
vendido como um escravo
pelo que impuseram ser valorizado.

Pureza não é sinonimo de algo límpido,
sim de autenticidade de alma e espírito
de quem não age como um covarde,
fugindo de si mesmo, mentindo
desejos que não está sentindo.
Pureza é como um cristal tinindo, mas que mal manuseado pode se despedaçar.

Não adianta nada
conquistar falsos sorrisos
e não colher brilhos dos olhos de quem realmente necessita
de algo a mais pra dar valor à vida.
Não adianta nada
julgar sem compreender,
atuar ao invés de ser você.

Os desejos sinceros nascem no coração,
é só você que poder realizar teus sonhos
e controlar onde coloca as tuas mãos
e o que leva a tua boca.
Só você pode decidir o caminho que vai seguir
com discernimento do que é melhor pra ti.

Quer ser famoso? Quer ser reconhecido?
Quer ser bonito e rico?
Não queira isso.
Queira ser o melhor que há em ti,
queira buscar o que ilumina sua vida e dá forças para prosseguir,
tudo é consequência dos seus atos,
buscando adquirir conhecimento
vai chegar nos rumos
que vão lhe fazer sorrir.

Não esqueça das tuas raízes,
não esqueça que você é mortal
e que o tempo passa, veroz e despercebido.
Desde quando você nasceu a ampulheta foi virada,
e quando escorrer o ultimo grão de areia
é o fim da sua estrada.
Então faça!
Evolua! Cresça!
Não importa nenhuma desgraça
desde que sua ideia de se superar prevaleça.

Ignore o que não lhe proporciona crescimento.
Vão desacreditar de ti, vão duvidar e tentar arruinar os sonhos
que habitam nos cumes da sua mente,
seja forte e acredite,
se precisar mate uma alcateia toda de leões por dia.
Só precisa provar algo pra uma pessoa,
você!

Por amor, por tudo que julga sagrado,
não esqueça da tua humanidade
e de ordenar corretamente os teus passos,
pois, se disciplina é liberdade
não tens que ser refém do que se mantém errado.

Se sentir-se sozinho, lembre-se
tu tens você e melhor companhia que essa não existe,
na pior das hipóteses,
saiba que estes versos são uma forma de lhe beijar à testa
e dar um forte abraço,
são conselhos de quem caminhou trôpego
e sofreu calado
até perceber estar amparado
pelas estrelas, pelo luar e pelo sol,
pela natureza,
pela vida que bate com jeito
pra ensinar que podemos ser muito mais que um soldado
em guerra.
Tudo o que precisas está na tua mente, na tua alma,
e nos livros que te tornam inteligente – as atitudes é que fazem um humano sábio.

sintonize, equilibre,
todo mundo leva tombos até aprender a andar,
a persistência é que faz você chegar
aonde quer.

Não viva em vão, não pense em desistir
“existe um mundo que só quer lhe ver sorrir!”

Descarrego de pensamentos

Poesia não é tendência,
poesia é essência!
Ninguém escolhe escrever, ou ser leitor,
só se identifica e faz,
para se completar,
aliviar a dor,
eternizar o amor…
Para entrar num universo paralelo onde tudo é possível.

Poesia é um olhar,
mais que observador, de quem contempla
a beleza da mais simples flor,
vê magia na natureza,
admira o esplendor do que possuí pureza.

Quantas noites deitei, embriagado de sono,
até uma ideia me atingir
e eu ter de levantar
para sangrar nos versos,
para então poder dormir
em paz.

Poesia é o sonho,
o desejo,
o pensamento segurando as mãos do sentimento,
a intensidade do que dá movimento à vida,
constantes chegadas, outras tantas partidas…

Poesia é arte,
arte é a manifestação dos reflexos da alma.

Escrevi para desafogar,
para libertar,
para navegar e voar,
para tocar a estrela
distante brilhando na imensidão do céu…

Mundo a fora:
As vitrines anunciam ilusões, que ofuscam;
A insegurança tranca os portões, os trancafiados nada buscam;
Orgulho faz cair de face ao chão, alimenta o ego;
Culpa não presta pra nada, só fique com o que interessa para seu crescimento;
Desconfiança não deixa caminhar nos caminhos certos em paz, dê tempo e não tenha pressa;
Quem não se recicla acumula lixo, o chorume estressa.
Sorrisos mentem,
e os bares continuam cheios
de falsos amigos,
sem maldade, são só pessoas carentes de atenção.
Contraste ás vezes seduz.

Reflexão, meditação.

Sem fé não há esperança,
sem paciência falta visão – nada vê, nada conquista.

Café Expresso

Um café expresso,
um poema impresso,
um pecado confesso – sou o exagero encarnado.

Manchete de jornal devia ser sempre coisa boa.

O ano todo é carnaval
e todo dia é natal
pra quem deixa renascer a esperança.

Não só hoje, mas rotineiramente,
ilumine a criança que existem em todos nós,
um pouco de inocência para brincar com os problemas,
grande dose de pureza, no sentir e pensar, na essência.

Quem planta a semente deve regar a flor, a árvore,
pra ser feliz com o sabor, o aroma.

Não perca o precioso tempo,
depois da colheita
vamos dançar com os anjos,
harmonia e leveza em cada passo…
sob o gramado, descalços.

Positividade e liberdade interna,
a lei da atração é verdade.
Não tome ciência quando for tarde
que pra ser feliz é só ser você,
seguir o coração e deixar na mente transparecer
seus desejos sinceros, instintos.

Se liberte das amarras,
não é preciso provar nada – só se for pra ti.
Não escute o que cada boca fala
no ímpeto de induzir à uma escolha pré moldada.
Seja tu o condutor
dos pensamentos teus, das escolhas.

Saia dessa bolha!
O mundo é maior que isso,
o universo quer contemplar o teu sorriso, teu resplendor!

Disciplina é poder fazer o que queres
e mesmo assim deixar predominar o juízo.

O sentido da vida
está no que tu faz dela
diante dos diversos caminhos e rumos…
ninguém pode fazer teu tino.

E eu continuo cantando todos os dias
mesmo ciente de que eu desafino.

Doente

Dor nos olhos,
cabeça derretendo,
corpo quebrado.
Resfriado?
.

Febre,
tosse e rouquidão,
fraqueza e indisposição.

Ar seco,
vírus,
contaminação.

Final de semana perfeito
pra criar raízes no colchão.

Humor espreito,
ânimo no chão.

Inspiração

Inspiração, onde está você?
Venha me tocar, quero te ter.
Não fuja de mim,
beija minh’alma,
baila comigo.

Um pouco de calma
e muita intensidade,
teu cabelo entre meus dedos,
tua palma na minha palma.

Inspiração, é de você que eu preciso!
Para amanhecer o dia mais lindo,
para ter meu café matinal completo.
Não quero matar a fome ou saciar a sede, estou “satisfeito”,
só quero apreciar o sabor de cada momento – em cada momento.

Faço a janta, abro o vinho,
se precisar falar alguma besteira eu falo
só pra ver o teu sorriso – e sorrir contigo.

Inspiração,
quero saber o que decorreu
nos caminhos deste dia,
lhe tocar na face,
beijar sua testa.
Construir abrigo.

Quero me perder no silêncio sereno do teu olhar,
quero mais que desejar. Realizar…

Inspiração, dorme bem
e acorde ao meu lado
quando quiser.

Inspiração,
deixei debaixo do tapete uma arma
e a porta continua aberta para ti.
Vem! Puxa o gatilho,
descarregue o pente, todas as balas devem ir contra o meu peito.
Quero morrer de amor – não ficar sangrando, sozinho.

Quente, muito calor!

Chamem o corpo de bombeiros!
Minha cabeça está pegando fogo,
meu coração queimou o peito,
agora vomito cinzas e brasas
queimando também minha boca, minha língua.

Preciso de água,
muita água e um pouco de gelo,
acho que perdi meu cabelo
e meus olhos derreteram
com o calor.

Não entrei em desespero, sempre fui puro exagero
e achei que era minha essa dor, comum.

Chamem os paramédicos e curandeiros!

Depois de refrescar
vou precisar de uma restauração,
pois é assim,
quando uma casa se queima
vai ao chão,
depois só reconstruir.

Não chamem ninguém!
Não carece, não a essa altura.

Eu me sinto lava,
eu sou vulcão.

Eu queimo tudo, puro ou impuro,
torno tudo chão e passo por cima…
queimo a igreja, o terreiro e a oficina.

Faz tempo, queimo de paixão.

Poesia, me alucina
sina, mina, fina, linda.

Queimo,
a floresta, o campo
e o camponês,
o índio, o negro, o branco,
o pobre e o burguês,
a criança, a mulher,
o idoso, o homem…
queimo a inocência, a sensatez,
queimo a prudência e incoerência,
tudo fica uniforme ao meu toque.

Tudo é sensível ao choque
do que me aquece e me torna quente.

Queimo na febre da paixão.

« Previous entries