Archive for novembro, 2014

Facetas

Menina que adora doces,
Ficção, romances,
Literatura,
Apreciando os sabores da cura
de tudo que quer fugir e esquecer.
Menina,
Pequena dose de loucura
E um olhar capaz de envolver…

Garota que causa encanto,
Mas veste a alma com orgulho
E cobre com um manto
Para que ninguém venha a conhecer
O profundo
Do seu coração mole e sensível para com a vida,
Com o mundo – Nenhum estranho precisa saber,
Garota, os teus segredos a se esconder.

Moça de cabelos longos
Com traços angelicais,
Dona de uma beleza que deixa tonto qualquer rapaz.
Educada, reservada,
Entre algumas saídas
E a rotina de estudos
A busca por paz,
Moça, tão delicada,
Desconfiada
Ela quer sempre mais.
O maior erro é duvidar
Pois ela é capaz, ela faz.

Donzela
Com temores.
Lidar com sentimentos é complicado,
Mais ainda quando se trata de amores…
Anjo, princesa, flor,
Estrela…
Donzela que se diz normal
Mesmo com esse ar de realeza…

Mulher,
Atitude madura,
Ela sabe o que quer.

Humana divina.
Ama os animais,
Protege a natureza
Discute política
E ainda faz faxina…
Ela existe?
Que loucura, me fascina.

Não sei quem é ela.
Só sei que acende a minha chama
E me chama sem falar,
Deita dormir em minha cama,
Pois quando fecho os olhos
Vejo os olhos dela
e me parece faltar ar…
Eu não durmo só pra observar
Essa velha, chata, sempre com sono
Precisando descansar.

Mais um Dia de Chuva

Céu nublado,
Chuva caindo e molhando o asfalto…
Já saí, já li, tentei assistir um filme,
Lavei a louça e varri o chão
Passei um pano pra casa ficar com um cheiro bom
Mas não adianta.
Hoje as horas não querem passar,
Mesmo tentando não consigo
Não pensar em você
Que nem sei quem é.

Esse dia parece ter nascido em vão.

Deita nesse sofá um pouco
Coloca a cabeça no meu colo
E deixa eu te olhar, acariciar
Os teus cabelos,
Se quiser pode dormir,
De qualquer forma é maravilhoso o momento
Se lhe ver sorrir…
O tempo até teria inveja
E iria decidir passar correndo.

Se tudo for questão de merecimento
Comprei um vinho, vou beber
E acender um incenso
Para me confortar,
Para apreciar o barulho da chuva
Com a suavidade do ar.
Vou acabar de escrever um livro
Pra depois incendiar
Tudo o que não vivo
e está no meu olhar,
Tudo o que não vivo
E continuo a imaginar…

O clima até parece perfeito,
O marasmo, o tédio,
Os defeitos e o silêncio…
Está tudo certo, só falta
Chegar perto
E viver.

Apenas pra eternizar.

Vou dormir tão feliz essa noite,
só eu sei o quanto estou lisonjeado.
Existe um dia perfeito
junto à presença certa ao lado,
o ar da graça faz a natureza
me deixar maravilhado…

Deus, obrigado!

Tu trouxe a chuva
pra eu me molhar, me renovar.
Trouxe cavalos, cachorros e pássaros
que se fizeram testemunhas
da felicidade que naquele momento
havia me habitado.

Molhado, cabelo bagunçado,
contentamento contido
pra disfarçar um pouco
como é bom poder dividir meus passos
com o desfilar daquela moça.
Estou ainda extasiado.

É tão bom
que estou até travado
para me expressar.

Cada vez que ela mexia no cabelo
eu enlouquecia
ainda mais encantado.
Cada palavra que ela dizia
quebrava minha projeção
e a realidade é bem melhor,
pois não se faz de poemas e imaginação.
A realidade é feita de fatos…
A imperfeição dela é tão perfeita,
as pequenas atitudes dela são tão… graciosas.
Oh, acho que estou ainda mais apaixonado.

Deus, hoje eu me senti abençoado.

Precisava tanto disso,
só não cogitei um cenário tão lindo
num momento tão singelo, simples…
além de qualquer outro que eu poderia ter sonhado.

Deus,
que sensação serena e deliciosa é essa
que parece ter me tomado?

Como se não bastasse,
abrilhantou minha tarde com um arco íris…
Obrigado!
Mesmo que eu não quisesse
essa memória já está eternizada…

Estou ainda mais acordado.

Sem palavras
e expressões.

Deus,
ainda há muito para ser mudado.
Me sustenta as forças
o resto pode deixar,
eu corro atrás, eu faço!

Tudo que eu disser
será pouco,
tudo que eu escrever
será pouco.
A abundância está no viver, no ser…

Aaah. -Um milhão de suspiros.

Obrigado.

Garota…

Garota,
Descansa tua beleza um pouco,
Tira essa roupa
E vá relaxar no banho.

Esquece um pouco dos problemas que lhe deixam louca.
É coisa pouca
Perante tudo que tu é capaz de fazer,
Perante o esplendor que o teu sorriso faz nascer.

Esquece um pouco do temor e do orgulho,
Vem caminhar comigo…
Ou será que nunca vai ceder
Aos convites meus?

Garota,
Tu se acha normal
Pois já és habituada com os elogios
Que tira dos olhos de qualquer um…
Já és habituada a ser você.

Teu andar desfila.
Teu olhar alucina.
Te ouvir falar fascina.
Tua presença ilumina
Os caminhos.
Teus cabelos louros encantam
E fazem meu olfato querer sentir o perfume.
As mãos ficam sedentas por esse maciez.
Mas você já sabe disso tudo…

Garota,
Tu é tão diferente, tão única.
Tão esplêndida e absoluta.
És a musa da minha poesia…
És o tiro na face da alienação e hipocrisia.
És a revolução que mata a tirania.

Analítica, crítica,
Compulsiva…

Sente o frescor do vento
E liberta qualquer dor que há no peito…

Garota,
Guarda tão bem a chave dos segredos
Que leva consigo pro leito,
Os pensamentos, os sentimentos…
És tão… indefinível. Ilimitada.

Só você se conhece,
Desperdício meu tentar escrever.

Garota…

Escrito em 5 minutos. A Paixão…

“Acho que não quero mais me apaixonar”
Disse a garota de coração moído…

Tu achas que tem escolha?
Achas que tem querer?

A paixão é como a morte,
Não adianta tentar evita-lá e não a desejar,
Vem vorazmente e a consome.
É como a inspiração
Que não se pede
E surge…

Nasce em um olhar que se cruza,
Em um momento que se eterniza
E domina os pensamentos.
É o velejar por águas profundas e ferozes
e atracar no porto que o fez desviar a rota – O farol brilhou intensamente pra você.
Traz suspiros e noites mal dormidas
Com ideias absurdas…

Se não quer se apaixonar
Olhe pro chão ao sair nas ruas.
Não viva!

Ah… parece uma piada – mal contada.

É a música que surpreende e encanta,
Que vicia e faz a paz
Como um mantra.
Envolve como o frio,
Aquece mas que a manta,
Queima mais que o fogo…

Paixão é coisa de louco!
Tem alguém normal nesse mundo?

Paixão faz a alma gritar até
Deixa os pensamentos roucos
Esperando o trago
Do Beijo que habita o filme do horizontes…

Se eu morasse na tua rua

Ah, se eu morasse na tua rua
acordaria às seis horas e sentaria no portão
só pra lhe ver passar, desejar bom dia
e ter um dia bom.
Puxaria papo com teu pai,
pediria qualquer coisa emprestada
apenas para me aproximar
e sentir um pouco do teu lar,
respirar um pouco do teu ar…

Ah, se eu morasse na tua rua
ia inventar uma desculpa só para lhe ouvir falar,
ia passar noites em claro escrevendo
sobre os muros que separam
esse corpo terreno
que quer lhe tocar a face, beijar a testa,
acariciar os cabelos..

Ia viver enfeitiçado pelos olhos gravados na mente,
ao fechar as pálpebras
me perderia ainda mais no teu olhar.
Ia colocar flores na sua área,
tocar violão
pra tu me ouvir cantar – mesmo sendo tão mal cantor.

Faria uma festa
só pra poder lhe convidar.
Não precisaria sair com o cachorro
só pra passar na sua calçada e te procurar