Archive for julho, 2015

Poema pra 20 segundos

Vou transbordar o teu aquário
até que ele vire mar
de água doce
pra eu poder me afogar.

Esperar

Fiquei esperando
Alguém se decidir,
O velho amigo vir me visitar,
Aquela garota me ouvir falar,
e a outra vir pra cidade só pra passear.

Esperei o pôr do sol.
Esperei o sol raiar.

Deixer passar uma semana,
quando vi tinha passado um mês,
um ano…
E todas as palavras levianas se perderam pelo ar.

Esperei muito. Esperei demais.
Nessa espera tonta fui deixado para trás.

Decidiu-se tarde.
O amigo morreu.
A garota triplicou seu ego e esnobeceu.
A do passeio viajou, está mais perdida do que eu.

Esperei um abraço,
um sorriso, um olhar.
Esperei uma palavra, deixei um aviso
e fui trabalhar.

Nada faz sentido.
As pessoas dizem
sem a pretensão de realizar.
Fingem
mas as atitudes denunciam o que a essência quer falar.

Esperei. Enlouqueci. Mudei.

Procurei o sentido da vida
e só no amor pude o encontrar.
Mas o amor estava sufocado
entre os carros e avenidas,
trabalhos, estudos, planos de vida.
O amor não tinha espaço
entre as ideologias, ideais,
leis e divergências reais.
O mundo está insano, o amor em segundo plano.

Agora jaz.

O que eu esperava queima
no inferno da alma.
Não espero mais!