Archive for outubro, 2015

Amo

Amo cada célula do seu corpo,
o jeito de me persuadir, de me entender.
Amo o seu sorriso de garota louca
e a tua essência de resistência
à essa sociedade trouxa.
Amo tua pele, teus cabelos,
tua voz.
Amo teu cheiro
a me envolver.
Seu abraço é como um abrigo
e dentro dele o resto não importa
Pois tenho você comigo.
Amo deitar ao teu lado,
ficar emaranhado pelos teus lençóis…

Vesti minha armadura
pra abraçar tua luta.
Mantive a postura
enquanto um terceiro te levava por outras ruas.
Te procuro em vários rostos
Em cada esquina
e ao olhar a lua.
Estar longe é um desgosto enorme
e enquanto a mente sonha
o corpo dorme
a batalha diária continua.

Poema espontâneo

Palavras,
Infinitas palavras
São, às vezes, tão pouco.

Todas as horas
De um dia, uma noite, uma semana
São, contigo, tão pouco.

Os abraços não cabem nos calendários.
O toque singelo não guarda promessas.
Os beijos são multa do nosso jeito de viver sem pressa.

Posso passar horas lambendo teus olhos com os meus olhos.
Cheirando tua pele, esfregando a barba em seu pescoço
Enquanto nada penso
Além de viver o aqui e o agora. Eternizar em mim os momentos..

Quando te conheci…

Eu ia em busca de sei lá o quê,
Fui curioso e sem esperanças de me entreter.
Tava tudo tão estranho aqueles dias,
Dias infernais, noites muito frias.
Você negou à mim,
Não esperava mais pelo que viria.

Quando conheci você
O sol brilhou mais forte
E o eu me encantava mais a cada vez que você sorria.
Me senti um cara de sorte
Por sentir e viver aquele momento e êxtase e alegria…

Foi um foda-se geral.
Foda-se motorista, cobrador e passageiro.
Foda-se quem tá na pista, quem tá a pé, quem é pobre ou quem tem dinheiro.
Foda-se o mundo inteiro!
Pois me puxou pela barba, me beijou.

Enquanto o nosso fogo esquentava – já queimava –
Todo mundo se chocou.
Comentários. Muita gente amargurada.

E você conseguiu o que queria:
Me incendiou!